Disneyland – vamos passar o Natal onde tudo começou…

Deixe um comentário Padrão

Em 2 meses (uhu!), no nosso tour pela Costa Oeste, realizaremos o sonho de passar o Natal na Disneyland, California, o primeiro parque criado pelo nosso amado tio Walt Disney. Natal, inverno, Disneyland, gingercookies!! Alguma dúvida de que será lindo??? O Castelo da Bela Adormecida fica todo enfeitado para o Natal. Há uma cerimônia em que a Árvore de Natal é acesa e há também uma parada de Natal com diversos personagens, além do show Believe, com fogos de artifício.

disneyland-gallery00

Castelo da Bela Adormecida ❤

Continue lendo

Anúncios

Como nadar com um golfinho no Discovery Cove

Comentário 1 Padrão

O Discovery Cove é um “retiro” dos animais que se apresentavam nos parques Sea World. Trata-se de um resort bem exclusivo em que se pode mergulhar com peixes e arraias e, de quebra, interagir com um golfinho. A reserva deve ser feita com muita antecedência (2 a até 6 meses). Você pode comprar o ingresso para passar o dia no local, mas a interação com os golfinhos é paga através de uma salgada taxa à parte. Há diferentes pacotes e preços, mas o ponto alto é o nado com golfinhos, que joga seu ingresso em um valor que pode até passar de US$300, dependendo da época. Devo dizer que vale cada centavo, pois o lugar é muito diferenciado e tem uma limitação grande no número de visitantes diários.

Como funciona

Você acorda cedinho e vai para o Discovery Cove, onde é credenciado. Eles tiram sua foto e te dão um crachá juntamente com um guia do local. Você pode tomar café da manhã ou seguir direto para os vestiários, onde recebe roupa de mergulho e um kit com o protetor solar próprio para não prejudicar os animais marinhos. Depois disso você tem o dia livre para ficar na água, nadar com arraias ou em um tanque com milhares de peixes em cardumes lindos… É simplesmente deslumbrante.

Para nadar com um golfinho

O nado com golfinho é feito em um horário pré-determinado para cada grupo de até 8 pessoas. Na hora marcada você se dirige para um local em que assinará vários termos (rssrsr) e conhece os treinadores que acompanharão toda a experiência. Depois disso todos seguem para a área em que os golfinhos ficam, e é apresentado a um deles. O maxilar chega a doer de tanto sorrir :P.

A experiência de ficar tão próxima de um golfinho é indescritível...

A experiência de ficar tão próxima de um golfinho é indescritível… Essa aí é a Dixie. Fofíssima.

Depois cada pessoa tem direito a brincar com o golfinho, fazer truques e alimentá-lo. A experiência é concluída com um nado segurando na barbatana. Muito emocionante.

Agora, nadar com um golfinho foi a experiência mais incrível de todas.

Raquel nadando na “garupa” da Dixie ❤

A alimentação no Discovery Cove é incluída no preço da entrada (all inclusive). Dá pra ficar debaixo do guarda-sol lendo, observando os animais, as pessoas…

É uma quebra violenta no ritmo acelerado que acabamos adotando em uma viagem para Orlando, com dias lotados de programação, parques e compras.

No final do dia você vai se sentir renovado e com uma experiência de vida que jamais imaginou que teria.

O Discovery Cove é um Resort e tanto, um lugar para relaxar mesmo. As refeições estão incluídas.

As refeições estão incluídas: o almoço é no esquema de “all you can eat” e há barraquinhas com lanche liberado durante todo o dia.

Tenho muitas ressalvas em relação ao cativeiro dos golfinhos, e nunca curti acrobacias e coisas desta natureza no Sea World.

No entanto o Discovery Cove me deixou uma impressão excelente. Parece ser um habitat aconchegante para esses animais, que já estão cativos há tantos anos.

Para saber mais: Discovery Cove.

O que levar: documentos, seu ingresso, roupa de banho e iPad/livros se quiser passar o dia relaxando. Tudo mais (shampoo, condicionador, toalhas, comida, bebida) eles fornecem no local.

Vale a pena comer no Crystal Palace, no Magic Kingdom?

Deixe um comentário Padrão

Parece ser consenso, nos blogs de viagem, que o Crystal Palace é o melhor restaurante do parque Magic Kingdom. Apesar de não me interessar muito por fotos com personagens da turma do Winnie the Pooh, da última vez que estivemos em Orlando resolvi reservar o Crystal Palace para um almoço mais tranquilo no Magic Kingdom.

Almoço do Crystal Palace compensa pelo ambiente, atendimento e oportunidade de tirar foto com personagens.

Almoço do Crystal Palace compensa pelo ambiente, atendimento e oportunidade de tirar foto com personagens.

O local é muito lindo. O prédio de vidro é inspirado no Crystal Palace de Londres. O serviço é o que eles chamam de “all you can eat”. Ou seja, há um buffet bem variado, tipo self service, e você pode pegar o que quiser quantas vezes quiser. A qualidade da comida é boa, mas não é nada de outro mundo. O atendimento é muito bom e quando os personagens chegam para tirar foto com você, é impossível não abrir um sorriso. É por esse motivo que o Crystal Palace vale muito a pena para quem vai para o Magic Kindgom com crianças.

Mas vamos analisar o custo-benefício: Se você não tiver o Dinning Plan da Disney, o Crystal Palace não vale a pena. O  almoço para duas pessoas deu US$59 e, com a gorjeta, foi para US$70. Sério, com US$70 você come um banquete em Orlando.

Portanto, devo discordar dos que acham que o Crystal Palace é o melhor custo-benefício no Magic Kingdom. Eu recomendaria o Tony’s Town Square, que possui uma comida italiana básica e sai bem mais barato (coisa de US$40 para duas pessoas).

Dicas para refeições no Magic Kingdom

Quando for no Magic Kingdom, sempre reserve restaurante antes. Não acho que compense reservar almoço E jantar. Primeiro que fica caro, segundo que você não está indo lá para comer, né? Faça uma das duas refeições com mais calma, em um restaurante que não seja fast food, e na outra refeição faça um lanche. Sempre prefiro reservar o almoço para um horário tipo 13h30 e passar o dia com pequenos lanches.

Quer mais dicas de restaurantes? Encontre aqui.

Como escolher e reservar hotel na Booking.com

Comentários 2 Padrão

Vira e mexe alguém me pergunta sobre a Booking.com, se funciona, se é confiável, etc… Por isso vou explicar tudo que sei sobre esse serviço. Desde já informo que este post não é patrocinado, apesar de que quando tiver tempo quero colocar a caixa de pesquisa da Booking aqui no blog. Este post é apenas de um relato de alguém que já usou muito um serviço e o conhece bem.

Uma das coisas que acho mais legais na Booking.com é que é um serviço que gera um nível de relacionamento com o cliente de fato. Por exemplo, quando entro no site e faço o login para minha conta com eles, eu tenho todo o meu histórico de reservas com datas, valores, avaliações, etc.

O Booking registra seu histórico de viagens. Veja como eu sou mão de vaca com as diárias de hotel!

A Booking registra seu histórico de viagens. Veja como eu sou mão de vaca com as diárias de hotel!

Para cada reserva de hotel realizada, eu posso fazer a avaliação do hotel em que me hospedei, e são essas avaliações que, na minha opinião, fazem a Booking ser um site confiável para você escolher o hotel em que deseja se hospedar, onde quer que esteja indo, sem ter surpresas desagradáveis.

O Booking pede para você fazer uma avaliação do hotel, e constrói um ranking bem bacana com as notas dos clientes.

A Booking pede para você fazer uma avaliação do hotel, e constrói um ranking bem bacana com as notas dos clientes.

Ao todo eu já fiz 15 reservas na Booking. Esse número de reservas (efetivadas e canceladas), sem nunca ter passado nenhum tipo de problema, me dá bastante segurança para indicar o serviço.

A melhor dica é: leia tudo que tem na página.

A melhor dica é: leia tudo que tem na página.

Então vejamos como funciona:

– Antes de mais nada, crie um conta na Booking.com. Isso vai facilitar muito sua vida, pois você poderá criar listas para salvar os hotéis que lhe interessarem durante sua busca.

– Aí é começar a pesquisar. Note que o site possui uma série de opções para refinar sua busca e apresentar os resultados mais relevantes de acordo com diferentes critérios indicados por você (notas dos hotéis, estrelas, preço, localização, etc).

Exemplo de hotel encontrado na busca.

Exemplo de hotel encontrado.

– Fique atento às condições de pagamento, pois cada hotel vai funcionar de um jeito. Pela experiência que tive, se você ler com atenção todas as condições, taxas e comodidades do estabelecimento que está reservando, não terá nenhuma surpresa. A maioria dos estabelecimentos cobra a hospedagem apenas no check out, no dinheiro ou no cartão. Mas há exceções, sempre explicitadas na página.

– Para conseguir os melhores preços você tem que entrar no site com frequência. Costumo fazer a reserva com cancelamento grátis com bastante antecedência. Depois fico entrando no site com novas buscas para ver se o preço cai. As reservas sem cancelamento (se cancelar precisará pagar o valor total da reserva) costumam aparecer com preços muito abaixo dos praticados. Uma vez consegui uma reserva quase 50% mais barata que a primeira que havia feito meses antes. Lembre-se apenas de que, se fizer uma reserva nova, precisa cancelar a anterior no prazo determinado.

– Importante diferenciar sua relação com o hotel e sua relação com a Booking. A Booking serve apenas como uma intermediária entre você e o hotel, te oferecendo preços bem abaixo do que o hotel cobraria se a reserva fosse feita diretamente com ele. No entanto, o que tem me chamado a atenção é como o “pós-venda”, por assim dizer, funciona direitinho. Vou dar alguns exemplos de situações que aconteceram comigo e que podem acontecer com você.

Seu voo foi cancelado e você não fará check in na data da reserva. E agora??

Isso aconteceu comigo esse ano quando íamos para Nova York. Liguei para a Booking para pedir ajuda com a alteração da reserva meio sem esperanças de resolver, pois o tipo de reserva que eu tinha feito para o Hotel at Times Square, em NY, era sem cancelamento. Ou seja, de acordo com a reserva que eu fiz, eu não teria direito nem de alterar a data e nem de cancelar a reserva. Muitas vezes este tipo de reserva fica muuuito mais barata no site, mas é sempre um risco. Liguei para a Booking e expliquei minha situação. O atendimento da Booking contatou o hotel, que aceitou não me cobrar as duas diárias que eu perderia por conta do voo! E também aceitaram meu pedido de early check in. Tudo isso sem eu ter que fazer ligação (internacional $$$) para o hotel. A Booking resolveu tudo e me enviou em menos de 24h a nova reserva por email.

Precisa fazer alguma solicitação especial para o hotel?

Durante a reserva você pode solicitar, por exemplo, check in antecipado ou check out depois do horário, mas isso não quer dizer que o hotel irá aceitar seu pedido. No final do ano iremos para Las Vegas e, por conta do horário do voo, solicitei check in tardio. O hotel não aceitou o pedido, pois a data é muito concorrida e tudo estará lotado, mas o mais bacana foi ter recebido uma ligação da Booking explicando isso. Esse contato com o cliente passa muita confiança no serviço.

———-

Missão da Booking.com

“Ajudar viajantes a lazer ou a trabalho com qualquer tipo de orçamento a facilmente descobrir, reservar e desfrutar das melhores acomodações do mundo”

A empresa tem sede em Amsterdã e 115 escritórios em 50 países, inclusive no Brasil.

 ———-

Só usei a empresa para reservar hotel. Para aluguel de carro prefiro outro serviço, sobre o qual falei em um vídeo.

Por que Disney? Se não sabe qual é a graça, leia este post

Deixe um comentário Vídeo

Quando falo da Disney para as pessoas, umas suspiram e outras torcem o nariz. Imagino que alguém que não tenha crescido assistindo os filmes da Disney realmente não fique emocionado com nada que se diga a respeito dos parques de Orlando.

Eu cresci com filmes e músicas da Disney. “Sofri” mesmo a tal “Disneyficação da infância”. Que se diga que os contos de fada corroem o cérebro das mulheres e estragam para sempre seus relacionamentos rsrsrsrrs… Whatever! Eu amo muito a Disney e quando voltei lá, em 2013, depois de “velha”, tive muito forte o sentimento de infância perdida, de “me leva de volta”! Foi muito bom e foi muito lindo. Fazer um adulto sonhar e se sentir num mundo de faz de conta não é para qualquer companhia…

Depois de muito tempo querendo postar este vídeo, aí vai, com algumas cenas dos parques da Disney. O gostinho que fica é sempre o de “quero mais”. Voltei em 2014 e quem sabe em 2015?

Momento inesquecível
Jamais vou esquecer que, no último dia de viagem, quando chegamos de tarde no Magic Kingdom só para ver a queima de fogos, o velhinho que trabalhava na guarita em que se paga o estacionamento puxou assunto e desejou boas vindas. Dissemos, sem esconder a emoção, que era nosso último dia, e que havia sido simplesmente maravilhoso. O velhinho me entregou o bilhete do estacionamento, e junto com ele minha nota de 20 dólares. Olhei sem entender, ou imaginando que ele tivesse se enganado no troco, e ele apenas respondeu:

– Its on Mickey (É por conta do Mickey).

Não preciso nem falar que, na tentativa de conter o choro, quase errei o caminho. São coisas como essa, que alguns chamam de pós-venda, mas na Disney a gente chama de carinho, que fazem a magia se preservar através das gerações  e gerações que visitam os parques.

Um tour pela Costa Oeste: Las Vegas, São Francisco e Los Angeles

Comentários 2 Padrão

Fevereiro daqui a pouco está acabando e já passou da hora de começar a programar a próxima viagem. É muito difícil não ir a Orlando, mas como esse ano já foi a segunda vez consecutiva, acho que tá na hora de variar um pouco e dar um rolé em uma região que me atrai muito: a Costa Oeste dos Estados Unidos.

Essa é uma viagem que achei que demoraria anos para fazer. Mas se tudo der certo em dezembro aterrizamos em Las Vegas, subimos para São Francisco e, depois de tomar muito vinho em Napa Valley (e quem sabe bater um papo com o Coppola…), chegamos a Los Angeles, encerrando a viagem com um reveillon na Disneylândia (lágrimas…).

O roteiro está no mapa abaixo. O único trecho que será percorrido de avião será o de Las Vegas a São Francisco, porque queremos descer a famosa Highway 1 de São Francisco a Los Angeles de carro, passando pelos mirantes e outras atrações turísticas.

A – Las Vegas, Nevada

B – São Francisco, Califórnia

C – Napa Valley, Napa, Califórnia

D – Monterey, Califórnia

E – Big Sur, Califórnia

F – Santa Bárbara, Califórnia

G – Los Angeles, Califórnia

H – Anaheim, Califórnia

E aí? Deu pra cansar? O desafio agora é fazer essa farra toda caber no orçamento (tenso!). A gente que está acostumado a pagar baratinho em hotel basicão em Orlando vai passar aperto para conseguir bons preços, ainda mais com um grupo maior, mas planejamento é pra isso!

O primeiro passo, como sempre, é a compra das passagens! Simbora simular vôos na decolar.com…

Férias na Disney – ou como realizar um sonho em um milhão de passos

Deixe um comentário Padrão

É de se esperar que alguém que tenha crescido com a cara grudada na TV assistindo as fitas de desenhos da Disney tenha nutrido o sonho de pisar naquele solo mágico.

Acidentalmente realizei esta fantasia quando tinha catorze anos. Eu representava o Brasil em um campeonato de judô em Fort Lauderdale, e juntando cada trocado de parentes e amigos meus pais conseguiram incluir, nas despesas da competição, uma passada de 3 dias no mundo mágico do “tio Walter”.

Me lembro pouco da viagem em si, mas jamais esqueci que minha irmã, quatro anos mais nova, guardou como se fosse dela o álbum de fotografias. Ambas sabíamos que o que me permitira viver aqueles 3 dias fora a insistência da família, e que uma viagem como aquela era algo completamente fora da nossa realidade.

Naquela época eu viajava sem me dar conta do que acontecia ao redor, pressionada pelas pesagens e resultados. Mas tinha decidido que um dia conheceria aqueles lugares com outro sentimento, em outro contexto. Foi no meio destas visitas a lugares incríveis que mudei gradualmente meus projetos de vida. Queria viajar sem ser atleta. Como uma pessoa comum que por puro prazer descobre lugares. E sem patrocínio, sem ajuda de amigos, sem obrigação nenhuma em relação a absolutamente nada. Com recursos próprios. Resultado do próprio trabalho.

Mas demorou………

Quando aconteceu eu já tinha 30 anos. E foi da melhor maneira possível. Em janeiro de 2013 eu consegui fazer a viagem, e desta vez não fui sozinha. 2013 foi o ano em que eu e minha irmã passamos nossas férias em Orlando em proporções épicas.

Essa e outras viagens-sonho que fiz e quero fazer são a inspiração para este blog.

Magic Kingdom - 4 de janeiro de 2013

Magic Kingdom – 4 de janeiro de 2013