Como escolher e reservar hotel na Booking.com

Comentários 2 Padrão

Vira e mexe alguém me pergunta sobre a Booking.com, se funciona, se é confiável, etc… Por isso vou explicar tudo que sei sobre esse serviço. Desde já informo que este post não é patrocinado, apesar de que quando tiver tempo quero colocar a caixa de pesquisa da Booking aqui no blog. Este post é apenas de um relato de alguém que já usou muito um serviço e o conhece bem.

Uma das coisas que acho mais legais na Booking.com é que é um serviço que gera um nível de relacionamento com o cliente de fato. Por exemplo, quando entro no site e faço o login para minha conta com eles, eu tenho todo o meu histórico de reservas com datas, valores, avaliações, etc.

O Booking registra seu histórico de viagens. Veja como eu sou mão de vaca com as diárias de hotel!

A Booking registra seu histórico de viagens. Veja como eu sou mão de vaca com as diárias de hotel!

Para cada reserva de hotel realizada, eu posso fazer a avaliação do hotel em que me hospedei, e são essas avaliações que, na minha opinião, fazem a Booking ser um site confiável para você escolher o hotel em que deseja se hospedar, onde quer que esteja indo, sem ter surpresas desagradáveis.

O Booking pede para você fazer uma avaliação do hotel, e constrói um ranking bem bacana com as notas dos clientes.

A Booking pede para você fazer uma avaliação do hotel, e constrói um ranking bem bacana com as notas dos clientes.

Ao todo eu já fiz 15 reservas na Booking. Esse número de reservas (efetivadas e canceladas), sem nunca ter passado nenhum tipo de problema, me dá bastante segurança para indicar o serviço.

A melhor dica é: leia tudo que tem na página.

A melhor dica é: leia tudo que tem na página.

Então vejamos como funciona:

– Antes de mais nada, crie um conta na Booking.com. Isso vai facilitar muito sua vida, pois você poderá criar listas para salvar os hotéis que lhe interessarem durante sua busca.

– Aí é começar a pesquisar. Note que o site possui uma série de opções para refinar sua busca e apresentar os resultados mais relevantes de acordo com diferentes critérios indicados por você (notas dos hotéis, estrelas, preço, localização, etc).

Exemplo de hotel encontrado na busca.

Exemplo de hotel encontrado.

– Fique atento às condições de pagamento, pois cada hotel vai funcionar de um jeito. Pela experiência que tive, se você ler com atenção todas as condições, taxas e comodidades do estabelecimento que está reservando, não terá nenhuma surpresa. A maioria dos estabelecimentos cobra a hospedagem apenas no check out, no dinheiro ou no cartão. Mas há exceções, sempre explicitadas na página.

– Para conseguir os melhores preços você tem que entrar no site com frequência. Costumo fazer a reserva com cancelamento grátis com bastante antecedência. Depois fico entrando no site com novas buscas para ver se o preço cai. As reservas sem cancelamento (se cancelar precisará pagar o valor total da reserva) costumam aparecer com preços muito abaixo dos praticados. Uma vez consegui uma reserva quase 50% mais barata que a primeira que havia feito meses antes. Lembre-se apenas de que, se fizer uma reserva nova, precisa cancelar a anterior no prazo determinado.

– Importante diferenciar sua relação com o hotel e sua relação com a Booking. A Booking serve apenas como uma intermediária entre você e o hotel, te oferecendo preços bem abaixo do que o hotel cobraria se a reserva fosse feita diretamente com ele. No entanto, o que tem me chamado a atenção é como o “pós-venda”, por assim dizer, funciona direitinho. Vou dar alguns exemplos de situações que aconteceram comigo e que podem acontecer com você.

Seu voo foi cancelado e você não fará check in na data da reserva. E agora??

Isso aconteceu comigo esse ano quando íamos para Nova York. Liguei para a Booking para pedir ajuda com a alteração da reserva meio sem esperanças de resolver, pois o tipo de reserva que eu tinha feito para o Hotel at Times Square, em NY, era sem cancelamento. Ou seja, de acordo com a reserva que eu fiz, eu não teria direito nem de alterar a data e nem de cancelar a reserva. Muitas vezes este tipo de reserva fica muuuito mais barata no site, mas é sempre um risco. Liguei para a Booking e expliquei minha situação. O atendimento da Booking contatou o hotel, que aceitou não me cobrar as duas diárias que eu perderia por conta do voo! E também aceitaram meu pedido de early check in. Tudo isso sem eu ter que fazer ligação (internacional $$$) para o hotel. A Booking resolveu tudo e me enviou em menos de 24h a nova reserva por email.

Precisa fazer alguma solicitação especial para o hotel?

Durante a reserva você pode solicitar, por exemplo, check in antecipado ou check out depois do horário, mas isso não quer dizer que o hotel irá aceitar seu pedido. No final do ano iremos para Las Vegas e, por conta do horário do voo, solicitei check in tardio. O hotel não aceitou o pedido, pois a data é muito concorrida e tudo estará lotado, mas o mais bacana foi ter recebido uma ligação da Booking explicando isso. Esse contato com o cliente passa muita confiança no serviço.

———-

Missão da Booking.com

“Ajudar viajantes a lazer ou a trabalho com qualquer tipo de orçamento a facilmente descobrir, reservar e desfrutar das melhores acomodações do mundo”

A empresa tem sede em Amsterdã e 115 escritórios em 50 países, inclusive no Brasil.

 ———-

Só usei a empresa para reservar hotel. Para aluguel de carro prefiro outro serviço, sobre o qual falei em um vídeo.

Anúncios

“No hablo espanol”: Desventuras em Buenos Aires ‘nunca más’ – 2010

Deixe um comentário Padrão

Buenos Aires definitivamente não foi uma cidade que me impressionou. Fomos trapaceados por taxistas várias vezes, comemos em lugares péssimos e, para piorar, fomos em janeiro, num calor insuportável. Para fechar com chave de “%^**#@”, a Aerolineas Argentinas nos fez passar a pior experiência da história, e ficamos como indigentes no aeroporto.

Tudo bem, foram só 5 dias e vimos SIM algumas coisas bem legais (que selecionei nas fotos acima). E só. Havia muita coisa boa ainda para ver? Provavelmente. Mas a verdade é que essa foi a única viagem que fiz sem planejar muito e ela foi cheia de contratempos e dissabores.

E “no hablo espanol”. O fato de não conseguir me comunicar definitivamente me irritou bastante.

Tudo bem, eu confesso. O problema não foi Buenos Aires. O problema é que a química não rolou. Eu e a cidade, eu e os argentinos… ninguém se entendeu.

No entanto, sem dúvida esta foi a viagem que me fez passar a ter atenção a todos os detalhes de qualquer passeio. Pensando por este aspecto, até que o saldo foi positivo, né?

Em todo caso, pode ser que eu mude de ideia, mas hoje, quatro anos depois, o que digo é “Buenos Aires nunca más!”.